quarta-feira, 16 de junho de 2010

Fiquei tanto tempo olhando pra dentro,
que nem percebi a paisagem distorcida.
O cinza do céu, com o marrom das folhas,
como briza na minha alma refletida.

O azul, o verde e o amarelo perdi,
não sei se o tempo levou,
ou fui eu que esqueci,
da infância que acabou.

Choro as faltas das cores?
Gosto do cinza e do marrom.
Mas eles me lembram minhas dores,
deixadas pelos meus amores.

E volto a olhar pra dentro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário