terça-feira, 17 de agosto de 2010

As cores da vida.

"Olho procurando pelos cantos, pelos pequenos espaços
Com meus olhos jovens mas tão cansados.
De todas as cores falsas desbotadas pela dor.
Que tão profundo amor pode sentir um jovem coração?
De quantos amores é preciso fugir, para compor uma canção?
E quando meu olhar não mais for jovem,
e quando meu coração não mais notar as cores,
sejam elas vivas ou manchadas pelas dores.
Quando a minha alma perder o seu sentido,
saibas que é contigo que irei sem medo,
novamente a procura das cores falsas das quais
um dia, eu havia desistido."

Nenhum comentário:

Postar um comentário