quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Morte da Menina


Tenho meu tempo, meu jeito minhas manias, meus defeitos.
Grito, brigo, xingo e mando descaradamente.
Sou cruel se for preciso, sarcástica e deboxada.
Sou uma puta, não quero ser amada.
Não tenho mais amor pra dar, o robauram de mim
e deixaram-me desalmada.
É o fim daquela menina doce e sincera que vivia em mim.
E eu sei... a culpa é minha eu a matei,
e todos os seus sorrisos, eu calei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário