domingo, 5 de setembro de 2010

Opostos.

Sua tristeza, minha felicidade.
Sua tranquilidade, minha inquietude.
Não que tú sejas triste, não que eu seja inquieta.
Teu mundo, e meu mundo, entende?
Sou teu oposto por consequência,
Tú, minha paixão por eloquência.
Nós... tristeza por mera inconsequência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário