terça-feira, 19 de abril de 2011

Na noite.

"Eu percebi que nem as bebidas mais fortes, nem os cigarros mais caros, nem as noites mais loucas são capazes de me provocar o que o teu toque me provoca. Que não há nada mais embriagante que o teu beijo, que a tua boca. Mas eu continuo na noite louca, com a bebida mais forte, com o cigarro que eu poder comprar só porque eu preciso ocupar esse vazio enorme que me causa a falta do teu corpo. É como uma droga esse desejo sabe?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário