segunda-feira, 9 de abril de 2012

Passatempo.


Me afasto devagar e com bastante cuidado para que ela não acorde. O dia ainda não clareou mas o cheiro daquele cabelo perto do meu rosto me despertou do sono. Sinto o calor do corpo dela perto do meu, a expressão serena de quem tem o coração tranquilo e tudo isso me encomoda, me invade e me perturba de tal forma que eu preciso me afastar ainda mais. Sei qual caminho devo seguir e a porta da frente não saiu do lugar. Olho mais uma vez antes de sair, admiro a pele branca e lisa, o rosto delicado, os lábios cor de rosa enquanto ela suspira de maneira tão leve que me faz querer chorar. Desculpe, por favor, desculpe te fazer acordar sozinha mas eu não queria que você despertasse e ao olhar nos meus olhos, descobrisse que eu nunca estive aqui de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário