sexta-feira, 6 de abril de 2012

Saudade sem nome.




Olhando as nossas fotos, mesmo as que foram tiradas a pouco tempo atrás, eu não reconheço você. Todos os dias eu acordo e choro de saudade sua, antes de dormir repito o mesmo processo porque tenho medo de explodir se não fizer. E quando tento matar a saudade, porque quem sabe olhando as nossas fotos eu não mato um pouco da saudade e deixo de chorar pelo menos pela manhã, eu não te reconheço mais.
Seu rosto parece mais largo, seu sorriso parece menos sincero, seu olhar parece sempre estar distante em todas as fotografias. E não é assim que eu lembro de você. Nas minhas memórias eu podia me ver no fundo dos seus olhos, agarrar seu rosto macio com as duas mãos e escutar a sua risada que me fazia sentir a maior paz do mundo. O que aconteceu? O que está acontecendo? Eu gostaria que você estivesse aqui pra me garantir que eu não sonhei, que eu vivi esse amor mas que ele acabou porque histórias de amor sempre acabam. Ou pra me dizer outra bobagem qualquer porque a verdade é que eu acreditaria em qualquer coisa que você me dissesse agora.
Eu não sei quem é aquela pessoa nas fotografias, mas odeio a forma como ela me agarra e me beija, e me olha e me faz ver coisas que eu não conseguia ver em você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário