quinta-feira, 3 de maio de 2012


Difícil é não saber te contar sobre quem eu sou. Posso tentar dizer por onde ando, mas pergunte-me pela noite, antes do primeiro gole ou correrás o risco de não obter resposta nenhuma. Eu vejo pessoas caindo na minha teia, se entrelaçando nos meus cabelos até que eu eu as retire da melhor maneira que eu conseguir, tentando não machucar ninguém e ao mesmo tempo levar todos os meus fios comigo.
As luzes piscam, eu bebo e sou empurrada e alguém segura minha mão. Não segure minha mão! Não queira caminhar comigo porque certamente te abandonarei na metade do caminho. Excesso de bagagem entende? Minha mochila vem cheia de tanta coisa que eu não posso me ver livre. Me deixe sozinha ao final da noite, me deixe chorar até dormir, me observe apenas de longe e fique em silêncio pra tentar escutar o que meu coração lhe conta sobre mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário