terça-feira, 8 de maio de 2012

Liberdade.


Tinha consciência de que nenhum milagre havia acontecido naquele dia. Continuava a mesma das ultimas semanas; dolorida, triste e solitária. Uma única diferença; ela realmente havia desistido. Desistiu das lágrimas, da tristeza, das noites sem dormir. Não era mais amor a muito tempo porque não se ama o vazio, as paredes, o silêncio absoluto. De todo amor que um dia existiu, esses eram os únicos vestígios que ainda habitavam o seu quarto. Então desistiu do passado e consequentemente, desistiu de sofrer. Foi só assim que ela deu o primeiro passo, e mal sabia que após esse, daria muitos outros ao encontro do seu sorriso frouxo perdido em meio a tantos escombros. Ela ainda era uma menina, só havia esquecido disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário