segunda-feira, 11 de junho de 2012

A Dama de preto.



Ela é movida por uma inquietação constante. O clichê diria ser coisa de artista mas ela prefere dizer que é apenas uma questão de personalidade. Engraçado é vê-la a procura de uma leveza que não condiz com o que a faz feliz, por uma paz que no fundo nunca soube admirar. Vive em um mar de dúvidas que a acompanham todos os dias a cada passo em direção ao futuro. Uma infinidade de possibilidades no horizonte e no peito algumas cicatrizes e sentimentos que nascem e se fortalecem a cada dia.
Se quizer saber sobre ela, não faça perguntas esperando uma resposta concreta. Se quizer fazer a diferença, faça-a sentir ao invés de pensar. Seu erro é querer respostas de alguém que vive formulando perguntas. Sinta o tempo todo, mostre sua coragem, vire-se do avesso, e tenha medo... sempre tenha medo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário