sábado, 20 de outubro de 2012

Vazia.



Então vai! Some por completo . Me xinga, me odeia, fala do quanto eu sou insegura e de como te irrito quando fico agindo como uma menina assustada. Fala da minha falsa prepotência, da minha falta de limite, do meu tom de voz arrogante. Me deixa de lado e me esquece de uma vez, porque nós duas sabemos que é isso que você tem que fazer.
Mas não, você faz tudo errado. Acha divertido quando eu encho a cara e fico até amanhecer dançando no meio da tua sala. E quando eu te provoco (porque eu sou idiota e arrogante o suficiente pra isso) ao invés de retrucar, você respira, conta até dez e deixa pra lá, depois ainda tira sarro da minha cara me fazendo rir. Quando eu preciso de carinho você me oferece seu colo, quando eu choro na sua frente você me abraça apertado. Tudo errado! Eu quero agir da maneira certa mas você não deixa!
Eu sei que não deveria ter te olhado e muito menos te beijado. Mas o que eu poderia fazer se em meio a tanta gente naquela festa, você é a única com quem eu poderia ficar em silêncio e descansar desse peso que eu carrego. Tudo porque você já não precisa das minhas palavras, é capaz de decifrar o meu silêncio.
Apenas me olha mais uma vez, tão profundamente quanto tantas vezes já te vi me olhar. Vê que sou só metade? E uma metade tão machucada, tão dolorida. Você não, ainda carrega esse sorriso enorme e sincero que te deixa tão bonita.
Não deixa que eu te tire esse sorriso, foge de mim antes que você perceba que eu não tenho absolutamente nada pra te oferecer. Vai embora porque eu sei que se fores agora, levarás contigo apenas a imagem da menina que dançava na tua sala.

4 comentários: