terça-feira, 6 de novembro de 2012

Então tá...




Cansei de ser essa outra parte de mim. Essa cheia de princípios e que por ser assim, logo se decepciona com os outros porque acha que todo mundo é igual. Assumo esse outro lado que muitas vezes me coloca em perigo. Assumo os riscos de ser eu mesma e deixo todos os medos de lado. Não irei justificar o meu ciúmes sem cabimento, não darei satisfações e me recuso a responder perguntas do tipo: "Você gostou? Você quer? Você vem?" Não sei! E porque não quero saber, não estou a procura das respostas.
As coisas certas perderam a graça e as incertas não me cabem. Quero o que é passível de mudanças, ou o que simplesmente não se pode definir.  Cansei das definições, descobri que elas causam grandes decepções porque as pessoas mentem com muita facilidade. Eu quero conversas longas, risos frouxos, grandes amores e muito sexo. Quero poder falar "Pra quem você tá olhando?" se sentir vontade, mas também pode ser que eu não atenda ao telefone no dia seguinte. Quem sabe um dia alguém me mostre que ser emocionalmente íntegro nessa vida vale de alguma coisa e eu volte a me preocupar com os outros.
Enquanto isso serei encantadoramente livre, porque ser livre de certa forma é encantador. Vou te amar profundamente até chegar a hora de juntar as minhas roupas no chão. Farei juras de amor que durarão a eternidade de uma noite, ou duas quem sabe. Eu não me importo mais, mas essa é a última vez que eu digo isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário