domingo, 21 de abril de 2013

Menos que uma vida.


E aí chega a hora de tomar uma decisão que ultrapasse as fronteiras que me protegem da realidade. Não tenho pressa mas tenho medo. E como poderia ser diferente? Se o mundo é grande meus sonhos são ainda maiores. Sempre pensei que uma vida não seria suficiente para viver o que sonho, e talvez não seja mesmo. Agora me vejo nascendo de novo e pedindo a deus por mais tempo, mais coragem, mais certeza, mais força. Então eu tomo mais um gole de chá e sinto como se as paredes estivessem cada vez mais perto, me forçando a fazer um movimento brusco de libertação. O relógio avisa, a cada tic e tac, que não vai me esperar e o frio me lembra que mesmo sozinha estou aquecida. Eu continuo olhando pela janela, apertada pelas paredes,aquecida pelo chá e ignorando o relógio. Daqui a vida é mais segura, mas aqui uma vida é até demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário