terça-feira, 14 de janeiro de 2014

...



Não sei quando virei uma pessoa teimosa nem quando desisti de ser eu. A verdade é que eu não sei quando virei tanta coisa. Tem gente que passa na vida da gente como se fosse um rolo compressor; esmagando certezas, destruindo convicções, estraçalhando sentimentos. E tá... vamos lá... que venha o próximo! A gente constrói tudo de novo na esperança de alguém que chegue e NO MÍNIMO tenha a decência de deixar as coisas como estão. Mas normalmente não é o que acontece, pelo menos não no meu caso. Meus pilares são adorados pelos chutes alheios; "Toma... você não merece ter certeza disso!" e lá vou eu tentar entender o que fiz e como vou reconstruir tudo de novo (obviamente engolindo xingamentos e lágrimas pra tentar não ser a mexicana da vez).
Agora se for pra fazer bagunça deixa que eu ajudo! Entra com a vontade que eu te guio pelo caminho certo. Vem com corpo, com boca, com cara e certeza de quem sabe o que quer. Se é pra me bagunçar então pelo menos tenha a decência de fazer valer a pena, ou vai embora o quanto antes. O que é pouco, moderado, morno, lento, suave nunca me serviu e quanto a isso eu me orgulho de dizer: nada mudou meu bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário