quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Tão pouco



Eu não quero e não vou te falar sobre como me sinto só. Não quero mais uma vez te ver sorrindo do meu "drama" e passando a mão na minha cabeça como se eu fosse um cachorro e devesse me contentar com esse gesto.
Mas eu também não vou ficar sempre aqui, esperando você sorrir pra eu poder sorrir também. Esperando você deixar eu te tocar sem ficar inventando motivos pra me afastar. Dói sabia? Dói muito. Então vê se para de fazer cara feia quando eu me afasto, para de achar que tem razão quando se sente só e quer o meu abraço. Ta na hora de aprender que, na vida, a gente precisa dar para receber.
Cresce e decide quem quer ser, ao menos uma vez vê se facilita as coisas pra mim. Seja paz ou vai embora, porque esse misto de frieza com carência é démodé, é feio, não tem graça.
Você é a promessa de algo que não acontece nunca, é o "quase", é a frustração de ver todas as minhas forças sendo jogadas no lixo porque eu não sou suficiente pra te satisfazer. Você é a minha melhor amiga gritando no meu ouvido que eu preciso PARAR de colocar a minha felicidade nas mãos dos outros e seguir em frente, que eu preciso seguir em frente. Sozinha.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Só.


Em alguns dias eu tenho sonhos cheios de cores. Geralmente esses sonhos não terminam quando acordo e me acompanham até o final do dia, quando antes de dormir me pergunto qual será o meu destino no sonho que virá. Escovo os dentes, sirvo meu café, visto uma roupa qualquer para ir trabalhar. Finjo me interessar pelo assunto dos outros, finjo sorrir, mas na verdade não estou realmente ali. São dias em que quase tudo que me é externo machuca. Uso relacionamentos como pontes com a realidade mas em alguns dias me sinto tão presa em mim que não consigo visualizar as pontes. Tudo se torna um borrão cinza e eu me encolho, ainda mais. E quanto mais me encolho mais me machuco e se por acaso tento mudar de lugar perco as forças.
Me refugio nas cores menos vibrantes desses sonhos que possuem paletas intermináveis. Quando tropeço em cinza desenho cidades vazias e por lá ando sozinha. E se do lado de fora o sol resolve dar as caras eu seguro o choro. Não que o sol seja triste, mas é justo que eu não consiga admirá-lo? É justo que ele sorria pra mim e eu não possa sorrir de volta?

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Você se lembra de como eu quebrei o seu coração?




Você se lembra de como eu quebrei o seu coração?

Foi um céu cinzento na segunda feira
não havia mais nada que eu pudesse dizer
então eu chamei você de Ohio em um estacionamento de motel
lembro-me de como você me cumprimentou
você sabia que não estava destinado a ser
Neste telefonema após dois anos de luta e de lágrimas

Lembra-se de como eu quebrei o seu coração?

Depois de tudo que passamos, de todos os danos que eu causei
de todos os ciúmes que você deixou gravado em mim
o fim estava próximo e tinha que acontecer
Então eu chamei você de Ohio em um estacionamento de motel
Para não dizer nada e também tudo, lembro que eu estava tremendo

Lembra-se de como eu quebrei o seu coração?

Eu bebi pra esquecer você, gastei dinheiro, fiz uma tatuagem
hospedei-me um fim de semana em Oregon e comprei uma passagem de avião para uma ilha
antes parei pela primeira vez em Toronto onde encontrei um homem que quase me deixou ir
Quatro anos mais tarde me casei com esse homem e sou mais feliz do que um dia sonhei que poderia ser.
Então veja, eu tinha que deixar você ir depois de um telefone de Ohio, preenchido com silêncios e desculpas.
Ainda em tempo, eu te amei como você me amou.